Empreendedor polvo. Você é um deles? 5 dicas para mudar essa realidade.

Hoje é muito comum ver cada um cuidar da sua própria empresa e querer ser polvo. Mas será que isso funciona de verdade?

Conheço uma empresa onde a dona é a professora de alguma das aulas que o lugar oferece, é ela que cuida do departamento financeiro, da folha de funcionários, da folha de alunos, dos cursos que serão ministrados, dos valores das aulas, do período de matrícula, da cantina que funciona no espaço, do marketing e, nesse meio tempo, cuida da administração da sua própria casa, que fica atrás da sua empresa (segundo ela, pra facilitar na administração).

Apesar do lugar ser conhecido como um espaço de sucesso, quando a gente para pra analisar, vê que muitos processos têm erros que poderiam ser resolvidos com uma simples questão: administração.  

Existe um livro chamado “O mito do empreendedor”, de Michael E. Gerber, onde ele classifica três tipos de empreendedores. Um deles é o “Técnico”, que ele classifica como não sendo empreendedor, mas um fazedor. O que isso quer dizer? Simples, que ele acaba criando um emprego e não um negócio, já que ele é funcionário da sua própria empresa. E esse é o grande problema da maioria das pequenas empresas hoje. As pessoas criam uma empresa daquilo que melhor sabem fazer. Isso é um problema? Não necessariamente, mas você precisa aprender a liderar e delegar responsabilidades pra que você possa ver seu negócio crescer.

Basicamente, para o autor, o técnico tem o seguinte lema de vida: “Se você quer que algo saia perfeito, faça você mesmo!” Ele é a pessoa que vive no presente e pensar, pra ele, só é produtivo se for sobre trabalho. O limite do técnico é determinado pelo quanto ele pode fazer sozinho.

Ok, e você deve estar pensando: no que essa ladainha toda vai me ajudar? Simples: a se reconhecer como um técnico e entender como e porque você deve mudar esse cenário.

 

1 – Analise as suas capacidades e deficiências.

É importante que você consiga ter em mente no que você é bom e no que não é, pra não ser surpreendido caso algo não dê certo. Você é muito boa em fazer bolos e abriu uma loja de bolos? Ótimo! Mas não pode ser só você a fazer os bolos. Você é boa em administração? Em marketing? Então contrate pessoas para cuidarem dessa área. De nada adianta um bom produto se não for bem administrado. Saber onde você precisa de ajuda é imprescindível pra que você saiba onde buscar sócios ou colaboradores.

2 – Crie uma planilha de regras

Crie uma planilha que vai servir como um “parâmetro de qualidade” e coloque nesse espaço como cada função deve ser feita e qual resultado deve ter. Além disso, você vai definir quem vai fazer o que e em quanto tempo. Com isso, automaticamente você se permite não se estressar porque algo pode não ficar bom. Você vai estar em total controle da qualidade porque vai saber de quem cobrar. Gerenciar as pessoas te permite ter mais tempo do que fazer tudo.

3 – Ouça opiniões de fora

Quando você está numa bolha você não consegue ver o que outras pessoas, que estão fora dela, podem observar. Dê ouvidos a essas pessoas e esqueça a ideia de que, porque você teve a ideia, só você pode ter novas soluções.  

4 – Treine pessoas

Se você for a única pessoa responsável pelo seu negócio, você pode de uma hora para outra quebrar. Você não está imune a uma doença que pode te deixar dias fora do seu negócio. E se isso acontecer e você não tiver nenhum substituto?

 

5 – Dê um voto de confiança para seus funcionários

Saia um pouco de campo e deixe seus funcionários fazerem uma função que não precisa ser exclusivamente sua. Quando você está com o seu tempo 100% ocupado, você não tem tempo de analisar no que sua empresa precisa melhorar. Delegue funções e pare de querer ser você o responsável por tudo.

E você, se identificou com o técnico? Gostaria de sugerir mais alguma dica para os que precisam abrir mão de fazer tudo? Deixe aqui nos comentários!  

Por: Bia Couto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima